Lei abre caminho para mais segurança sanitária em salões de beleza

January 20, 2012

Já está em vigor a Lei 12.595 de 2012, que reconhece o exercício das atividades profissionais de cabeleireiro, barbeiro, esteticista, manicure, pedicure, depilador e maquiador. Sancionada na última quarta-feira (18/1) pela presidenta Dilma Rousseff, a lei também obriga que os profissionais destas áreas sigam as normas sanitárias, realizando a esterilização de materiais e utensílios utilizados no atendimento aos seus clientes.

De acordo com a diretora da Anvisa, Maria Cecília Brito, a lei abre caminho para que sejam feitas novas ações de proteção à saúde do trabalhador de salões de beleza e dos próprios clientes.

“Esse profissionais, que passam a ser reconhecidos pela lei, tem uma importância muito grande em nossa cultura, mas é preciso observar os riscos a que eles estão sujeitos por conta das características de seu trabalho, com, por exemplo, o uso constante de produtos químicos”, explica. Ela lembra, ainda, que esta é a primeira lei federal que traz, de forma expressa, a obrigatoriedade da aplicação de normas sanitárias por profissionais da área de beleza.

Atualmente, as normas sanitárias para estas áreas são definidas por estados e municípios. Os salões de beleza são considerados estabelecimentos de interesse da saúde.

Leia a íntegra da Lei 12.595/2012.

Carlos Augusto Moura – Imprensa/Anvisa


Últimas Notícias
25/11 | 9h05
Anvisa suspende 27 produtos para saúde sem registro e outros produtos
24/11 | 11h20
Abertas as inscrições para o 8° Encontro Anual da Farmacopeia Brasileira
24/11 | 9h45
Alerta sobre presença de fungo no produto probiótico ABC Dophilus Powder
21/11 | 18h35
Esclarecimento: Renovação das Certificações de Boas Práticas
21/11 | 18h00
Alerta: presença não declarada de sibutramina e fenolftaleína nos produtos Forever Beautiful
21/11 | 15h50
Medicamento e Condicionador suspensos por desvio de qualidade
21/11 | 11h10
Sistemas da Anvisa ficam indisponíveis nos dias 21 e 22 de novembro
20/11 | 8h15
Confira como importar medicamentos controlados e sem registro no Brasil