Acesso à informação
TAMANHO DO TEXTO A- A A+
Agrot�xicos e Toxicologia / Assuntos de Interesse / Reavalia��es de Agrot�xicos
Anvisa apresenta estratégias para segurança do paciente em hospitais e clínicas

April 9, 2010

Representantes das vigilâncias sanitárias estaduais, de conselhos de classe, associações profissionais e órgãos de governo reuniram-se, nesta quinta-feira (8), para conhecer as iniciativas da Anvisa e da Organização Pan Americana da Saúde (OPAS/OMS) para melhoria da segurança do paciente nos serviços de saúde.

As estratégias desenvolvidas pela Agência estão baseadas em dois desafios globais lançados pela OMS. O primeiro, com o tema “Uma Assistência Limpa é Uma Assistência Mais Segura”, está focado nas ações de melhoria da higienização das mãos em serviços de saúde. O segundo desafio, sob o lema “Cirurgias Seguras Salvam Vidas”, está relacionado às ações de melhoria dos procedimentos cirúrgicos.

O principal objetivo das ações é reduzir os casos de infecções hospitalares, as grandes vilãs da segurança do paciente.  A meta da Anvisa é diminuir em 30% os índices nacionais de infecção em corrente sanguínea, em um prazo de três anos. A estimativa da OMS no Brasil, é que a taxa de infecções hospitalares atinja 14% das internações. Segundo dados da OMS, cerca de 234 milhões de pacientes são operados por ano em todo o mundo. Destes, um milhão morre em decorrência de infecções hospitalares e sete milhões apresentam complicações no pós operatório.

Higienização das mãos

A higienização das mãos é considerada a medida mais importante e reconhecida no controle das infecções nos serviços de saúde. A Anvisa lançou, em 2007, uma cartilha de higienização das mãos em serviços de saúde que é distribuída a instituições de todo o país. Além disso, a Agência irá aprovar, ainda nesse semestre, uma resolução que obriga os serviços a disponibilizar álcool gel em torno dos ambientes onde ocorrem os procedimentos com pacientes.

Segundo o gerente de tecnologia em serviços de saúde da Anvisa, Heder Murari a lavagem das mãos é essencial no controle de infecções hospitalares. "O procedimento teve grande repercussão neste ano em virtude do surto de H1N1. Porém, precisamos ir além de campanhas factuais e criar uma cultura de higienização das mãos no país”, afirmou.

Cirurgias seguras

Em relação à segurança nas cirurgias, outra medida simples pode diminuir os casos de infecção e de erro humano nas operações. É a implantação de um check list, que deverá ser seguido pela equipe profissional em três momentos: antes da anestesia, antes da incisão e antes de deixar a sala de operação.

A lista de verificação aborda questões simples, como identificação do paciente e da equipe médica, operação e lado a ser operado, antecipação de possíveis eventos críticos, contagem dos instrumentos no final do procedimento, entre outros. “Embora sejam medidas simples, um estudo piloto indicou que a checagem da lista reduziu em 47% o número de óbitos e em 36% as grandes complicações pós-operatórias”, ressaltou Edmundo Ferraz, chefe de cirurgia geral do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Segundo Edmundo, 2500 hospitais no mundo inteiro já estão implantando o check list. A idéia da Anvisa é que inicialmente seja desenvolvido um projeto piloto  em alguns hospitais públicos do país.

Hospitais seguros

Outra estratégia que vem sendo trabalhada pela OMS para redução dos riscos em saúde é o desenvolvimento de “hospitais seguros”. Para se enquadrar nesse conceito, um hospital deve ser capaz de garantir o seu funcionamento eficiente durante um desastre (terremotos, fenômenos climáticos, etc). Para isso, as construções e reformas devem considerar a localização, a estrutura, os equipamentos e recursos humanos.

Segundo a OMS, na América Latina e Caribe, 67% das unidades hospitalares se encontram em zonas de risco, sendo afetadas por fenômenos geológicos, hidrometeorológicos, sociais, ambientais e químico – tecnológicos, por exemplo. Com isso, mais de 45 milhões de pessoas deixam de receber atenção médica em hospitais a cada ano.

Para viabilizar a implantação da estratégia de hospitais seguros no Brasil, a Anvisa vem desenvolvendo algumas ações. Entre elas está prevista a elaboração de manual sobre redução de vulnerabilidade das construções e a inclusão de capítulo específico sobre esse assunto na regulamentação técnica dos estabelecimentos de saúde.

Além disso, a Agência pretende realizar capacitações sobre os conceitos de redução de vulnerabilidade das edificações, com técnicos do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) da área de avaliação de projetos e com projetistas da área de saúde.

Apresentações

A  Cirurgia  Segura - Uma Exigência no Século  XXI

A ANVISA e a aliança global em prol de sistemas de saúde mais seguros

“SEGURANÇA DO PACIENTE NOS SERVIÇOS DE SAÚDE” - Iniciativas da Anvisa

Segurança do Paciente: Uma Aliança em prol de sistemas de saúde mais seguros

Ações de Controle de Infecção da Anvisa na Estratégia de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde Ações de Controle de Infecção da Anvisa na Estratégia de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde

Hospitais Seguros - Introdução à estratégia

Infraestrutura Física dos Serviços de Saúde no Conceito Hospitais Seguros

Daniele Carcute – Imprensa/Anvisa


Endereço: Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) - Trecho 5, Área Especial 57, Brasília (DF) - CEP: 71205-050 c 2005-2009 Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Todos os direitos reservados. ANVISA ATENDE - 0800-642-9782 - webmail