Talidomida


A Talidomida é um medicamento muito perigoso se utilizado por mulheres em idade fértil porque causa más-formações nos braços e pernas e também nos órgãos internos do bebê desde o início da gravidez, mesmo na fase em que a mulher ainda não sabe que está grávida. Por isso, a Talidomida é proibida para mulheres grávidas ou com chance de engravidar. Caso o uso da Talidomida seja imprescindível para mulheres em idade fértil, alguns cuidados são obrigatórios e  indispensáveis:

  • O tratamento com a Talidomida tem que ser acompanhado integralmente pelo médico;

  • Antes de iniciar o tratamento, o médico deve pedir exames laboratoriais para descartar a possibilidade de a paciente estar grávida. 

  • Após a constatação da não gravidez, o médico vai prescrever à paciente o uso de dois métodos contraceptivos que devem ser utilizados simultaneamente.

  • Somente após um mês do uso dos contraceptivos e a realização de novos testes para descartar a gravidez, é que o médico vai iniciar o tratamento com a Talidomida. 

  • Seguir à risca todas as orientações médicas, pois se trata de uma substância que pode trazer danos irreversíveis à saúde do feto.

A talidomida foi responsável pelo nascimento de mais de 10 mil crianças com má-formação em todo mundo entre as décadas de 50 e 60.

 Acesse o Blog Talidomida e saiba mais

 

Legislação sobre Talidomida

 

 RDC nº 11/2011 - Dispõe sobre o controle da substância Talidomida e do medicamento que a contenha. 

 RDC nº 50/2015 - Dispõe sobre a atualização do Anexo III, Indicações previstas para tratamento com a Talidomida, da RDC nº. 11, de 22 de março de 2011.