Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Retornar para página inteira
Voltar

Parecer Técnico nº 5, de 28 de setembro de 2001

Parecer Técnico nº 5, de 28 de setembro de 2001

 

ASSUNTO: Uso do termo "hipoalergênico" em produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes.

Tendo em vista reuniões anteriormente realizadas com a Comissão Técnica de Assessoramento na Área de Cosméticos (CTAC) e a necessidade de reavaliação da utilização do termo "hipoalergênico" em preparações cosméticas e elaboração de parecer técnico, a Câmara Técnica de Cosméticos (CATEC) apreciou o assunto em pauta e apresenta, a seguir, suas considerações:

Considerando que o termo "hipoalergênico" tem sua utilização internacionalmente reconhecida;

Considerando a ausência de uma regulamentação específica para o uso deste termo;

Considerando que indivíduos com resposta positiva a reações alérgicas ou fotoalérgicas tem melhor tolerância a produtos de uso tópico, cuja fórmula não inclua substâncias com histórico de causar estes problemas;

Considerando a evolução técnica e científica na metodologia de avaliação dos componentes da fórmula quanto a sua tolerância dérmica, referendada pela comunidade científica, como também dos testes de segurança pré-clínicos e clínicos do produto acabado para finalidade a que se destina;

Considerando que a menção hipoalergênica pode ser atribuída àqueles produtos cujo baixo potencial alergênico é reconhecido e comprovadamente reduzido, em relação a produtos do mesmo tipo e de função similar;

A CATEC recomenda:

a) Adotar critérios técnicos para avaliação do uso do termo "hipoalergênico";
b) Aprovar o disposto neste parecer como requisitos técnicos para utilização do termo "hipoalergênico";
1 - ABRANGÊNCIA
Todos os produtos cosméticos, de higiene pessoal e de perfume relacionados no anexo I, da resolução nº 79, de 28/8/00 e que atendam o estabelecido na correspondente definição.

2 - REQUISITOS
2.1 - Os produtos que se utilizarem desta menção em sua rotulagem deverão apresentar obrigatoriamente, por ocasião do pedido de registro na GGCOS/Anvisa, testes clínicos de sensibilização cutânea e fotoalergia, de acordo com metodologia reconhecida, que atestem a baixa incidência de reações adversas de sensibilização e fotoalergia.
2.2 - Os testes deverão abranger três períodos distintos de uso, de acordo com a metodologia selecionada.

1º período : indução
2º período : repouso
3º período : desafio
2.3 - Obrigatoriamente na rotulagem do produto, deverá conter a expressão:

"Este produto foi formulado de maneira a minimizar possível surgimento de alergia" e os demais requisitos estabelecidos na Resolução nº 79/00 quanto as restrições de uso e critérios de inclusão obrigatória, referentes às matérias primas utilizadas e tipo de produto, quando for o caso.
2.4 - Na rotulagem dos produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes, não serão aceitas as expressões:

"Produto não alergênico"
"Produto inócuo"
"Produzido com matérias primas inócuas", ou outra sinonímia que venha permitir um entendimento inadequado quanto a aplicação do termo.

A Gerência Geral de Cosméticos adota o presente parecer como referência técnico-científica.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

1) JACKSON, M E PhD. The Science of Cosmetics. American Journal of Contact Dermatitis, v.4, n.o 2 (June), p. 108-110, 1993.
2) SCHUELLER R and ROMANOWSKI, P. Understanding "mild" cosmetics products. Cosmetics & Toiletries (USA), V. 114, n.o 12 (December), p.55-60, 1999.