Voltar

Anvisa suspende ação cautelar sobre achocolatado

Anvisa suspende ação cautelar sobre achocolatado

Lote da bebida não foi comprometido por ações da empresa Itambé e perícia aponta ação criminosa de envenenamento do produto
Por: Ascom Anvisa
Publicado: 02/09/2016 15:20
Última Modificação: 06/09/2016 15:42

A interdição cautelar do lote M4 do achocolatado Itambezinho, da marca Itambé foi suspensa pela Anvisa. A medida está publicada no Diário Oficial da União desta próxima segunda-feira (5/9) e revoga a Resolução 2.333/2016, publicada no DOU do dia 29 de agosto. Ou seja, o produto está liberado para comercialização e consumo no país.

Confira a resolução RE 2.402/16, publicada no DOU desta segunda-feira (05/09), que retira a interdição sobre o Itambezinho.

A interdição cautelar do lote foi motivada para averiguar se haveria relação entre o óbito de uma criança e o consumo do produto. Investigação da Polícia Judiciária Civil em conjunto com a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Mato Grosso revelou adulteração do achocolatado que foi consumido pela criança por meio de injeção de inseticida em cinco unidades.

A Anvisa reitera que a empresa Itambé Alimentos S/A não foi responsável pelo ocorrido e que a hipótese de contaminação decorrente do processo de fabricação do produto está descartada. Assim, com a publicação da resolução, o lote do produto poderá ser comercializado normalmente.

É de responsabilidade da Agência tomar medidas preventivas sempre que há casos de dúvida a respeito das condições sanitárias de alimentos, medicamentos, cosméticos e outros produtos. Assim, a interdição cautelar do lote mostrou-se necessária até o esclarecimento do caso.