Voltar

Leucemia linfoblástica aguda ganha novo tratamento

Novo registro

Leucemia linfoblástica aguda ganha novo tratamento

Registro do produto biológico Oncaspar foi publicado nesta semana.
Por: Ascom/Anvisa
Publicado: 12/06/2017 14:58
Última Modificação: 21/06/2017 14:55
Esfregaço de aspiração da medula óssea de um paciente mostrando linfoblastos no sangue periférico de um paciente com leucemia linfoide aguda

O novo medicamento Oncaspar (pegaspargase) será mais uma opção para o tratamento de pacientes diagnosticados com leucemia linfoblástica aguda (LLA). O medicamento foi registrado como produto biológico novo, de acordo com a resolução RDC 55, de 16 de dezembro de 2010. A publicação do registro foi feita nesta segunda-feira (12/6).

Como Oncaspar atua?

Oncaspar contém pegaspargase, que é uma enzima que decompõe a L-asparagina, um componente importante das proteínas, sem o qual as células não podem sobreviver. As células normais podem fabricar asparagina para si próprias, ao passo que algumas células cancerosas não o fazem. Oncaspar reduz o nível de asparagina nas células cancerosas do sangue e impede as células cancerosas de crescer.

O mecanismo de ação da L-asparaginase fundamenta-se na clivagem enzimática do aminoácido L-asparagina em ácido aspártico e amônia. A depleção da L-asparagina no soro sanguíneo resulta na inibição da síntese proteica, síntese de DNA e síntese de RNA, especialmente nos blastos leucêmicos, que não são capazes de sintetizar a L-asparagina e, consequentemente, sofrem apoptose.

Qual é a indicação do Oncaspar?

O produto Oncaspar (pegaspargase) foi aprovado para as seguintes indicações terapêuticas: “Oncaspar é indicado como um componente da terapia antineoplásica combinada de pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA)”.

 

Quer saber as notícias da Anvisa em primeira mão? Siga-nos no Twitter (@anvisa_oficial) e no Facebook @AnvisaOficial

Encontrou algum problema nesta notícia? Mande um e-mail para noticias@anvisa.gov.br