Voltar

Informações sobre a segurança das fluoroquinolonas

Área: GGMON

Número: 12019

Ano: 2019

Resumo:

A Gerência de Farmacovigilância - GFARM alerta quanto às recomendações para o uso seguro das fluoroquinolonas


Identificação do produto ou caso:

Informações sobre a segurança das fluoroquinolonas


Problema:

O tratamento com fluoroquinolona deve ser descontinuado ao primeiro sinal de dor ou inflamação do tendão (como inchaço, dificuldade de caminhar). Os pacientes devem ser aconselhados a procurar atendimento médico imediato caso apresentem sintomas de neuropatia como dor, queimação, formigamento, dormência ou fraqueza.


Ação:

Neste momento, o perfil benefício-risco das fluoroquinolonas permanece favorável. A GFARM continuará a monitorar a segurança desses medicamentos e solicita a todos que notifiquem os eventos adversos suspeitos relacionados ao uso de medicamentos no VigiMed (portal.anvisa.gov.br/vigimed).


Histórico:

As fluoroquinolonas (ciprofloxacino, levofloxacino, norfloxacino, moxifloxacino, ofloxacino dentre outras) são antibióticos de amplo espectro utilizadas para o tratamento de diversos tipos de infecções. Embora essa classe de medicamento seja eficaz no tratamento de infecções bacterianas, por vezes complicadas, o seu uso pode estar associado à ocorrência de reações adversas raras, graves, incapacitantes e potencialmente irreversíveis, envolvendo tendões, músculos, articulações e o sistema nervoso central. Estas reações podem ocorrer após horas ou semanas depois da exposição às fluoroquinolonas. O tratamento com fluoroquinolona deve ser descontinuado ao primeiro sinal de dor ou inflamação do tendão (como inchaço, dificuldade de caminhar). Os pacientes devem ser aconselhados a procurar atendimento médico imediato caso apresentem sintomas de neuropatia como dor, queimação, formigamento, dormência ou fraqueza.


Recomendações:

Os profissionais de saúde devem evitar prescrever fluoroquinolonas a pacientes com com risco de aneurisma da aorta, como pacientes com doenças vasculares ateroscleróticas periféricas, hipertensão, certas condições genéticas, como síndrome de Marfan e síndrome de Ehlers-Danlos e idosos. Deve-se prescrever fluoroquinolonas a estes pacientes somente quando não houver outras opções de tratamento disponíveis.

 Além disso,  recomenda-se que as fluoroquinolonas também não devam ser usadas para tratar infecções que podem melhorar sem tratamento ou não são graves, para tratar infecções bacterianas leves ou moderadas, a menos que outros medicamentos antibacterianos comumente recomendados para essas infecções não possam ser usados, para prevenir a diarréia do viajante ou infecções recorrentes do trato urinário inferior.

Lembramos que, as fluoroquinolonas devem ser usadas com precaução, especialmente em idosos, pacientes com doença renal e aqueles  que realizaram transplante de órgão, porque esses pacientes correm um risco maior de lesão do tendão. O uso associado de corticosteroide com fluoroquinolona também aumenta esse risco e por isso o uso combinado desses medicamentos deve ser evitado.

Informações adicionais sobre a segurança das fluoroquinolonas e outros medicamentos podem ser acessadas no portal da Anvisa (disponível em: http://portal.anvisa.gov.br)


Anexos: