Voltar

A Gerência de Farmacovigilância reitera o risco de óbito decorrente da administração de soluções injetáveis de alcaloides da vinca por via intratecal

Área: GGMON

Número: 12020

Ano: 2020

Resumo:

A Gerência de Farmacovigilância reitera o risco de óbito decorrente da administração de soluções injetáveis de alcaloides da vinca por via intratecal


Identificação do produto ou caso:

Alcaloides da vinca (vincristina, vimblastina, vinorelbina, vinflunina)


Problema:

A Gerência de Farmacovigilância reitera o risco de óbito decorrente da administração de soluções injetáveis de alcaloides da vinca por via intratecal.


Ação:


Histórico:

Os alcaloides da vinca compõem uma classe de medicamentos utilizados para o tratamento de diversos tipos de câncer. O mecanismo de ação é baseado na inibição da multiplicação celular.

A via de administração aprovada para os referidos medicamentos é exclusivamente pela via endovenosa, não sendo permitida a administração por via intramuscular, subcutânea ou intratecal. Há relatos de reações neurológicas graves, que podem ser fatais, com o uso desses medicamentos por via intratecal.


Recomendações:

Recomenda-se atenção por parte dos profissionais de saúde, uma vez que a administração dos alcaloides da vinca deve ser realizada exclusivamente por via endovenosa. Em casos de dúvidas, consultar as bulas disponíveis no bulário eletrônico: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp.

A Anvisa monitora continuamente os medicamentos e solicita aos profissionais de saúde e pacientes que notifiquem os eventos adversos ocorridos com o uso de qualquer medicamento por meio do sistema VigiMed (http://portal.anvisa.gov.br/vigimed).


Anexos:



Referências:

Bulário eletrônico