Voltar

A Gerência de Farmacovigilância alerta sobre a interrupção abrupta ou a diminuição rápida da dose de medicamentos opióides

Área: GGMON

Número: 22019

Ano: 2019

Resumo:

A Gerência de Farmacovigilância alerta sobre a interrupção abrupta ou a diminuição rápida da dose de medicamentos opióides


Identificação do produto ou caso:

Descontinuação do uso de medicamentos opióides


Problema:

A Gerência de Farmacovigilância alerta quanto aos cuidados na descontinuação do uso de opióides em pacientes em tratamento prolongado. A interrupção abrupta ou a diminuição  rápida da dose de medicamentos opióides pode provocar danos sérios em pacientes que são fisicamente dependentes desses medicamentos. Podem ocorrer sintomas graves de abstinência (agitação, ansiedade, tremor, insônia dentre outras reações), dor descontrolada, sofrimento psicológico e  até mesmo suicídio.

Além disso, esses sintomas podem levar os pacientes a procurar outras fontes de medicamentos para a dor, o que pode ser confundido com a busca de drogas para uso abusivo. Para tentar tratar a dor ou sintomas de abstinência alguns pacientes acabam buscando o uso de opioides ilícitos, como heroína e outras substâncias.


Ação:

Os pacientes que tomam medicamentos opiáceos a longo prazo não devem parar subitamente de tomar o seu medicamento. Deve-se discutir com o seu médico um plano para diminuição lenta da dose do opióide e continuar a controlar a sua dor. Mesmo quando a dose de opioide diminui gradualmente, podem ocorrer sintomas de abstinência. Contate o seu profissional de saúde se sentir dor aumentada, sintomas de abstinência, alterações no seu humor ou pensamentos de suicídio


Histórico:

Os opiáceos são uma classe de medicamentos sujeito a controle especial que podem provocar dependência física ou psíquica. São usados ¿¿para controlar a dor quando outros tratamentos e medicamentos não podem ser tomados ou não são capazes de proporcionar alívio suficiente da dor. Eles têm sérios riscos, incluindo abuso, vício, overdose e morte. Exemplos de opioides comuns incluem codeína, fentanil, hidrocodona, hidromorfona, morfina, oxicodona e oximorfona.


Recomendações:

 Os profissionais de saúde não devem suspender abruptamente os opioides em um paciente que é fisicamente dependente do medicamento. Não existe uma programação padrão adequada de redução de opiáceos para todos os pacientes. Deve-se considerar fatores como a dose utilizada, tipo de dor e as condições físicas e psicológicas do paciente. Em geral, para pacientes que são fisicamente dependentes de opioides, a redução da dose não deve exceder 10% a 25% a cada 2 a 4 semanas. Pacientes que estão tomando opioides por períodos de tempo mais curtos podem tolerar uma redução mais rápida.


Anexos: