A História do Educanvisa

 


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) entre 2006 e 2008 promoveu duas ações educativas: o Projeto Contributo e o Projeto Educação para o Consumo Responsável de Medicamentos. A partir do aperfeiçoamento dessas duas experiências foi lançado, em 2009, o projeto Educanvisa, apresentando uma nova estrutura. O projeto passou a ser desenvolvido com recursos próprios da Agência e contava, então, com a parceria fundamental das vigilâncias sanitárias locais e as secretarias de Educação. O objetivo dessa ação conjunta, que se firma até hoje, é a inserção da temática da saúde, em especial da vigilância sanitária, nos conteúdos programáticos das escolas de ensino básico das localidades participantes do Educanvisa.

Entre 2006 e 2017, o Educanvisa já atendeu, diretamente, mais de 200 mil alunos de 1.456 escolas públicas brasileiras e promoveu a formação de mais de sete mil professores, 678 profissionais da vigilância sanitária e de 763 das secretarias de educação, em 352 cidades brasileiras.

 

O Educanvisa hoje

O Educanvisa ao incentivar a atividade educativa da vigilância sanitária na escola encontrou um espaço privilegiado para desenvolver estratégias promotoras da saúde, em prol da melhoria das condições de vida e de saúde das populações.

Dessa perspectiva, o Educanvisa tornou-se um grande aliado para o fortalecimento das instituições e para a valorização da ação das vigilâncias sanitárias estaduais e municipais, promovendo um trabalho intersetorial entre a saúde e a educação. Isso proporcionou ao Educanvisa reconhecimento e credibilidade, aumentando, a cada ano, sua abrangência em território nacional.

A dimensão continental do país demandou repensar a estrutura dessa ação educativa e alargar o olhar para regiões em que existem vazios demográficos, problemas sociais, culturais e econômicos importantes, baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), dentre tantos outros fatores que interferem, consequentemente, na qualidade de vida da população, em escala regional, estadual e municipal.

Para tanto, o Educanvisa foi estruturado em um programa educativo com uma proposta de coordenação descentralizada no Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), o que permitirá expandir as ações para um número amplo de municípios. O programa comporta, também, a formação em vigilância sanitária – tanto dos multiplicadores da ação quanto dos educadores –  utilizando a modalidade da Educação a Distância (EaD), em plataformas de acesso livre e gratuito.

A partir de 2018 o Educanvisa passa a integrar o Programa Saúde na Escola (PSE), que se trata de uma política intersetorial dos ministérios da Saúde e da Educação, instituída em 2007. Esta aliança deverá conferir mais robustez e capilaridade ao programa de educação em vigilância sanitária que vem avançando e se consolidando como ação educativa estratégica da Anvisa, para promover a saúde da população.

Conheça os municípios que já participaram das capacitações do Educanvisa