Contrapartidas para a Rede Sentinela


A adesão do serviço de saúde à Rede Sentinela é um ato voluntário e não gera custos e não transferência de recurso financeiro da ANVISA para a implantação da gerência de risco pelas Instituições credenciadas e para realização das atividades previstas nesta Resolução.

No entanto, como contrapartida, a ANVISA oferece um programa de educação continuada, o qual compreende as seguintes atividades:

-Sentinelas em Ação. 

-Curso de Qualidade e Segurança do Paciente, com uso de simulação realística. 

-Curso de Gestão de Riscos em Estabelecimentos de Média e Alta Complexidade, com o uso de simulação realística.

-Treinamento de Bombas de Infusão.

 

Sentinelas em Ação

O programa “Sentinelas em Ação” é uma estratégia virtual de atualização e compartilhamento de conhecimentos relacionados à Vigilância Sanitária pós-uso/comercialização de produtos, ao Sistema de Notificação e Investigação em Visa (Vigipós), à Segurança do Paciente e a outros assuntos emergentes no cenário da saúde do País. É uma parceira entre a ANVISA e o Hospital Sírio Libanês, com apoio da Rede Universitária de Telemedicina (Rute).

Trata-se de palestras transmitidas em tempo real, às terças-feiras das 11h às 12h (horário de Brasília), para as instituições que compõem a Rede Sentinela de Serviços de Saúde de todo Brasil e também para os serviços de Vigilância Sanitária.

Para participar do Programa é necessário efetuar o cadastro no Portal do Hospital Sírio Libanês (http://ensino.hospitalsiriolibanes.com.br/Account/Register.aspx) para que seja gerada uma senha de acesso à plataforma de EAD dessa instituição.

Outros profissionais dos serviços credenciados, além do Gerente de Risco, poderão se cadastrar. Mas isso dár-se-á somente mediante a autorização do Gerente de Risco previamente cadastrado, o qual se responsabilizará por esses acessos.

A idéia é de que os Gerentes de Risco organizem sessões para que os colaboradores de seu serviço possam se reunir e assistir aos programas. A programação do mês seguinte é sempre apresentada no mês anterior para permitir a divulgação e organização das sessões. 

O programa tem como clientela prioritária os profissionais que atuam no gerenciamento de risco e segurança do paciente nos serviços sentinelas, bem como profissionais do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária.

Vale ressaltar que a programação científica é construída de forma coletiva com as instituições credenciadas junto à Rede Sentinela.

 

Curso de Qualidade e Segurança do Paciente, com uso de simulação realística

A Capacitação em Qualidade e Segurança do Paciente é um treinamento que objetiva aprimorar colaboradores das gerências de risco dos hospitais que compõem a Rede Sentinela em ferramentas de Vigipós e gerenciamento de risco. É uma atividade fruto da parceria da Anvisa com o Centro de Simulação Realística do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), no âmbito do no âmbito do PROADI-SUS (Programa para Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS).

Tem como método a simulação realística que utiliza cenários com cases baseados na vida real, montados em salas high-tech, em que o grupo interage com atores, bonecos, aparelhos, em um ambiente que imita a vida real (enfermaria, UE, UTI etc), incorporando os temas discutidos em estações práticas e debriefing. As esquetes são construídas observando-se um check-list com os objetivos específicos a serem alcançados, e também aspectos atitudinais do trabalho em equipe, tomada de decisão e liderança.

O curso acontece em São Paulo, no Centro de Simulação Realística, nas dependências do HIAE), e tem duração de dois dias. São abordados temas como:

- Vigilância de Risco;
- Eventos Adversos Graves;
- Hemovigilância;
- Controle de Infecção Hospitalar;
- Relacionamento com o cidadão/ usuário dos serviços de saúde;
- Uso seguro e gerenciamento de equipamento médico-hospitalar;
- Medicamentos de alta vigilância;
- Check- list cirúrgico.

 

Curso de Gestão de Riscos em Estabelecimentos de Média e Alta Complexidade

Esse curso é outra parceria da ANVISA com a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE), no âmbito do PROADI-SUS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS.


O foco central dessa capacitação é o risco sanitário. Além do seu caráter inexato de prospecção e mensuração, as diferenças conceituais e de abordagem de processos de trabalho em relação a esse objeto, trazem dificuldades adicionais ao gerenciamento e gestão de risco.

O objetivo do curso é capacitar gestores e profissionais de saúde da Rede Sentinela, bem como técnicos de vigilância sanitária, no uso de ferramentas de gerenciamento de risco e na implantação de políticas de gestão de risco em suas instituições, com vistas à minimização de danos e ao fortalecimento da cultura de segurança nos estabelecimentos de saúde, na perspectiva de articulação sistêmica e integrada das práticas de gestão, vigilância e cuidado em saúde.

O curso possui carga horária de 48 horas-aula presenciais, tendo como método de ensino-aprendizagem, aulas teóricas expositivas presenciais utilizando recursos audiovisuais e de interatividade, bem como o método da simulação realística. 

O Conteúdo programático é composto pelos seguintes temas:

•Histórico de gerenciamento de risco na saúde;

•Painel do Gerenciamento de Risco – dados nacionais e internacionais;
Teoria: risco, gerenciamento e gestão de risco, evento sentinela, “queijo suíço” (padrões de segurança JCI, ONA, Proqualis, etc);
•Estabelecimento do contexto de gestão de risco: Pró-ativo (mapeamento de riscos)
•Estabelecimento do contexto de gestão de risco: Reativo (gestão de eventos adversos)
•Ferramentas para a gestão de risco
•Busca de informação
•Análise de riscos
•Indicadores:

 

Treinamento de profissionais de terapia intensiva para o uso de bombas de infusão

A idéia de se fazer um treinamento voltado para o uso de bombas de infusão para profissionais de terapia intensiva foi levantada devido à observação da grande quantidade de notificações de eventos adversos, recebidas pela ANVISA, sobre o tema. Observou-se que a maioria das notificações eram causadas pelo mal uso dos equipamentos.

O objetivo desse treinamento é capacitar para o correto uso da tecnologia. Pretende-se, ainda, formar multiplicadores responsáveis por disseminar os conhecimentos aprendidos para os demais profissionais de seus hospitais e de outros serviços.

Trata-se de mais uma atividade no âmbito do PROADI-SUS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS, cuja parceira é desenvolvida com o Hospital Sírio Libanês.