Breve histórico das SQR no Brasil


Somados aos esforços de várias entidades que, isoladamente, realizavam ações e apresentavam projetos com o mesmo objetivo, a Comissão Permanente de Revisão da Farmacopeia Brasileira/CPRFB e o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde/INCQS estabeleceram um projeto em parceria para o estabelecimento das primeiras SQR.

Buscaram agregar, no primeiro momento, o Laboratório de Produção de Padrões Secundários da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o equivalente na Universidade Federal de Santa Maria. Depois, juntaram-se outros Laboratórios de Controle de Qualidade de Medicamentos instalados em Universidades e na Indústria Farmacêutica visando à implantação da Rede Nacional de Padrões de Referência tendo como objetivo disponibilizar substâncias químicas de referência nacionais, com o cumprimento de todas as exigências e recomendações requeridas para esse tipo de produto.

Em setembro de 2001, o Brasil começou a trilhar o caminho da autossuficiência em SQR, disponibilizando os primeiros lotes ao mercado nacional. Existem hoje várias SQR da Farmacopeia Brasileira (SQR- FB), suprindo as necessidades da indústria farmacêutica e dos órgãos oficiais e privados de controle de qualidade de medicamentos.

Até pouco tempo, a única opção para aquisição das SQR era comprá-las, quando disponíveis, no mercado internacional ou em representantes locais a um alto custo, sem considerar a demora do processo de importação, o que dificultava sua aquisição. Os que mais sofriam com tais condições eram, principalmente, o setor público, os laboratórios nacionais e os de pequeno porte.