Orientações sobre alisantes


Os alisantes são produtos cosméticos que modificam a estrutura química capilar para relaxar, alisar ou ondular os cabelos com duração do efeito após o enxague.

Todos os alisantes capilares, inclusive os importados, devem ser registrados. Alisantes sem registro estão irregulares e podem causar danos à córnea, queimaduras graves no couro cabeludo, quebra dos fios e queda dos cabelos.

 

 

 

 

Saiba mais:

Verifique se a embalagem do produto contém o número de Autorização de Funcionamento da Empresa (AFE) e o número do processo, que corresponderá ao número de registro do produto. Todos os alisantes capilares, inclusive os importados, devem ser registrados. Alisantes sem registro estão irregulares.  

Produtos sem registro podem causar danos à córnea, queimaduras graves no couro cabeludo, quebra dos fios e queda dos cabelos. 

Não. Tanto o formol quanto o glutaraldeído, devido à semelhança química com o formol, não podem ser utilizados como alisantes capilares. Eles têm uso permitido como conservante e, no caso do formol, também como endurecedor de unhas. Qualquer outro uso acarreta sérios riscos à saúde da população. Adicionar formol é infração sanitária (adulteração ou falsificação) e crime hediondo, de acordo com o art. 273 do Código Penal.

O uso indevido de formol e glutaral pode causar diversos males à saúde, como: irritação, coceira, queimadura, inchaço, descamação e vermelhidão do couro cabeludo, queda do cabelo, ardência dos olhos e lacrimejamento, falta de ar, tosse, dor de cabeça, ardência e coceira no nariz.

Exposições constantes podem causar boca amarga, dor de barriga, enjoo, vômito, desmaio, feridas na boca, narina e olhos e câncer nas vias aéreas superiores (nariz, faringe, laringe, traqueia e brônquios), podendo até levar a morte.

Não existem alisantes capilares destinados ao público infantil. Os produtos para alisamento capilar são indicados, exclusivamente, para adultos. O uso de alisantes em crianças é proibido. 

 

Após constatar que o alisante é registrado na Anvisa, leia atentamente as instruções de utilização do produto e observe as advertências que constam na embalagem.

O rótulo de um produto alisante deve conter as seguintes frases:

  • Este preparado somente deve ser usado para o fim a que se destina, sendo PERIGOSO para qualquer outro uso;
  • Não aplicar se o couro cabeludo estiver irritado ou lesionado;
  • Manter fora do alcance das crianças;
  • Não usar em crianças;
  • Para o uso em grávidas e lactantes, consultar um médico;
  • Aplicar o produto a meio centímetro da raiz;
  • Incluir o teste de mecha.

OBS. Produtos que tiverem derivados de ácido glioxílico (como, por exemplo, Glyoxyloyl Keratin Amino Acids e Glyoxyloyl Carbocysteine) em sua composição deverão apresentar também a frase: "Aplicações repetidas podem causar queda ou alterar a coloração dos cabelos".

Para saber se um produto é registrado na Anvisa, acesse: https://consultas.anvisa.gov.br/#/ ou https://consultas.anvisa.gov.br/#/cosmeticos/registrados/

É preciso ter em mãos uma das seguintes informações: número do processo ou número de registro, nome do produto, nome da empresa detentora ou CNPJ.

Procedimentos e métodos para alisamento capilar, como escovas inteligente, definitiva e de chocolate, não são regulamentados pela Anvisa. A Agência registra somente os produtos que serão utilizados. Entretanto, todos os salões de beleza devem ser licenciados pela vigilância sanitária local.