Temas de sangue, tecidos, células e órgãos da AR 2017/2020


O uso de sangue, outros tecidos, células e órgãos humanos para tratamento de agravos é uma tecnologia já disponível no Brasil. Para garantir a qualidade e a segurança destes tratamentos, a vigilância sanitária elabora normas e regulamentos técnicos, inspeciona os serviços credenciados, capacita profissionais e monitora a ocorrência de eventos adversos com a utilização das tecnologias disponíveis.

Os procedimentos que envolvem transfusão de sangue, implante de tecidos e transplante de órgãos são atividades que inerentemente envolvem riscos para os receptores. A obtenção de produtos e a execução de processos sem padrão de qualidade podem acarretar agravos aos pacientes, entre os quais a transmissão de doenças como a Aids e as hepatites B e C, além de gerar resultados sem eficácia, o que pode comprometer ainda mais a saúde dos usuários.

Nesse sentido, buscando reduzir os riscos associados a essas práticas, a Anvisa, em parceria com o Ministério da Saúde, desenvolve ações que visam garantir a qualidade e a segurança transfusional e a segurança na área dos transplantes de órgãos e tecidos.

A AR 2017-2020 possui 8 temas relacionados diretamente ao macrotema sangue, tecidos, células e órgãos, são eles:

10.1 - Implantação do Sistema Nacional de Biovigilância

10.2 - Triagem laboratorial de doadores de órgãos para transplante

10.3 - Transporte de material biológico humano, sangue e seus componentes

10.4 - Produtos de terapias avançadas: terapia celular avançada, engenharia tecidual e terapia gênica à base de células

10.5 - Bancos de células e tecidos germinativos (BCTG)

10.6 - Bancos de tecidos humanos

10.7 - Centros de processamento celular

10.8 - Serviços de hemoterapia

Acompanhe os processos regulatórios em andamento (atualizado em 01/02/2018) relacionados aos temas de sangue, tecidos, células e